domingo, 28 de novembro de 2010

Ouvir estrelas




                                      "Ora (direis) ouvir estrelas! Certo                                           
Perdeste o senso!" E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muitas vezes desperto
E abro as janelas, pálido de espanto...
E conversamos toda a noite, enquanto
A via-láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.
Direis agora: "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?"
E eu vos direi: "Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas."



3 comentários:

Poemas e Amizades disse...

Oi, Katja, boa tarde!!!
Olavo Bilac está coberto de razão, nesse poema, quando deixa claro que somente amar faz compreender a linguagem das estrelas. E com a linguagem das estrelas, também a linguagem dos seres, das coisas pequenas, do significante e do insignificante. Alguém dirá que as estrelas são mudas. Os astrônomos, que as estrelas emitem pulsação. O amante, que tal pulsação se traduz, e se traduz em inspiração. Não me atrevo a dizer que certamente ele perdeu o senso, pois bem que converso com a chuva, com o mar, com os pássaros, com as folhas das árvores, com pessoas de imaginação maravilhosa... e cada qual me diz em sua linguagem: inspire-se!
Um beijo carinhoso
Lello

flOr dii Liz _ A meniina de papel com alma de bOrboleta... disse...

Oii .. amoo esta poesia de Olavo
acho tão lindaa..
[Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas."]
mto perfeita *.*
adorei o blog todo ..

Agora por est motivo, passa lá no meu blog
q tem um selinho pra to :')

um.beijo* querida

Katja Malena disse...

Lello realmente as estrelas são de inspirar!// Obrigada querida! Que bom q gostou... espero q se sinta bem aqui! Obrigada pelo selinho, adorei! Um Beijo